XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

EFEITO AGUDO DO EXERCÍCIO FÍSICO COM VIBRAÇÃO DE CORPO INTEIRO SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL E A MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA EM IDOSOS HIPERTENSOS.

Introdução

<p>Poucos estudos investigaram a hipotensão pós-exercício (HPE) em idosos hipertensos após uma sessão de exercício físico com vibração mecânica na plataforma vibratória (ExCWBV), bem como, seus possíveis mecanismos centrais pela modulação autonômica cardíaca.&nbsp;&nbsp;</p>

Objetivo

<p>Investigar o efeito agudo de uma sessão de ExCWBV sobre o comportamento da pressão arterial sistólica, diastólica e média (PAS, PAD e PAM) e da modulação autonômica cardíaca&nbsp;comparando com uma sessão sem vibração (ExSWBV) e sessão controle (SC).</p>

Método

<p>A amostra foi composta por 11 idosos, de ambos os sexos (F=8 e M=3), com idade (69.3±2.1 anos), peso corporal total (61.2±0.9 kg), estatura (155.5±0.6 cm), índice de massa corpora (25.3 ± 0.3 kg/m2). Os participantes foram submetidos em 4 visitas: visita 1 foi realizado anamnese e&nbsp;medidas antropométricas;&nbsp;nas visitas 2, 3 ou 4 foi realizado os protocolos experimentais: ExCWBv (35Hz, 4mm, 19.6 ms2; DPP: 4 mm) e&nbsp;ExSWBv (sem vibração)&nbsp;e sessão controle (SC), com intervalo de 48 a 72 horas entre elas. ExCWBV e ExSWBV (16 min, 1:1 min, flexão de joelhos 130º) em SC (16 min, sentado), nas&nbsp;as visitas foi realizado medidas de PA&nbsp;pelo método oscilométrico indireto (Omron 7200) e modulação autonômica cardíaca pelo método indireto de VFC (Polar Rs800Cx) tomado índices de modulação parassimpática (iR-Rms, rMSSDms e HF u.n.) e simpático (LH u.n. e LF/HF %), pré-sessões (10 min) e pós-sessões (5, 10, 20, 30, 40, 50 e 60 min). Estatística: foi utilizado Anova One-way com&nbsp;dados da área sob a curva (<em>area&nbsp;under curve -</em>&nbsp;AUC), em caso significativo foi verificada pelo teste post-hoc de Tukey, o&nbsp;nível de significância foi de <em>p</em>≤0.05.&nbsp;</p>

Resultados

<p>Houve diminuição significativa entre na ExCWBV vs. SC e ExSWBV em AUC-ΔPAS e AUC-ΔPAM (PAS mmHg/min: 622.2&nbsp;vs.1082&nbsp;<em>vs. </em>1165,&nbsp;<em>p</em>=0.002; PAM mmHg/min:&nbsp;771.3&nbsp;<em>vs.</em>1014&nbsp;<em>vs.</em> 1154, <i>p</i>=0.006).&nbsp;Não houve diferença significativa na modulação autonômica cardíaca no período pós-sessões (AUC-ΔR-R ms/min:&nbsp;7.512&nbsp;<em>vs.&nbsp;</em>7.592.&nbsp;<em>vs.&nbsp;</em>7.924, <em>P</em>&gt;0.05; AUC-ΔFC bpm/min:&nbsp;639.7 vs. 399.6 vs. 379.1, <em>P</em>&gt;0.05;&nbsp;AUC-ΔrMSSD ms/min: 829.1 vs. 741.5 vs.&nbsp;728.7, <em>P</em>&gt;0.05; AUC-ΔLF u.n./min: 1.786 vs. 1.681&nbsp;vs. 2.185, <i>p</i>&gt;0.05;&nbsp;AUC-ΔHF u.n./min: 1.693 <em>vs.</em>1.612 <em>vs.</em>&nbsp;1.124, <em>p</em>&gt;0.05; AUC-ΔLF/HF %: 335.5 <em>vs.</em> 485.4 <em>vs.</em>&nbsp;391.4, <em>p</em>&gt;0.05).&nbsp;</p>

Conclusão

<p>O ExCWBV foi capaz de gerar HPE quando comparado a ExSWBV e SC, para&nbsp;PAS e PAM, em idosos hipertensos.Entretanto, não foi possível observar diferenças significativas nos indices de&nbsp;VFC, apesar de uma maior tendência em&nbsp;indices de&nbsp;modulação parassimpática e menor de modulação simpática.&nbsp;</p>

Palavras Chave

Área

Área Multiprofissional

Instituições

Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte - Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, Universidade Estácio de Sá - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Ricardo Gonçalves Cordeiro, Alexandre Gonçalves De Meirelles, Eloa Moreira Marconi