XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA REALIZADA DURANTE O TURNO DE SERVIÇO DE POLICIAIS MILITARES DO RADIOPATRULHAMENTO DE SÃO PAULO

Introdução

<p>A inatividade física cresce no planeta e aumenta o risco de mortalidade por doenças cardiovasculares, câncer e o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis. Policiais militares (PMs) de São Paulo têm maior taxa de mortalidade por doenças cerebrovasculares e hepáticas quando comparado com a população civil da mesma idade e sexo. A atividade de radiopatrulha (RP190) é realizada por duplas ou trios de PMs, durante doze horas, com emprego de uma viatura policial, podendo exigir, a qualquer momento, o emprego das capacidades físicas no atendimento de ocorrências policiais, durante a abordagem policial, na contenção ou fuga do infrator da lei. Entretanto, não está claro se a atividade exercida por policiais militares durante a execução do trabalho operacional é sedentária ou fisicamente ativa.</p>

Objetivo

<p>O objetivo do presente estudo foi analisar o nível de prática de atividade física realizado durante o turno de serviço operacional de radiopatrulha.</p>

Método

<p>Foram avaliados 170 PMs de sexo masculino e feminino com idade média de 32,9 anos, peso de 87,8 kg, altura de 1,71 metros e índice de massa corporal (IMC) de 26,9 kg/m², pressão arterial sistólica (PAS) 125,3 mmHg, diastólica (PAD) 77,5 mmHg e frequência cardíaca de repouso 73,8 bpm. Todos os voluntários trabalhavam no programa de RP190 e foram submetidos a análise do número de passos durante o turno de serviço. O número de passos foi verificado por um pedômetro da marca YAMAX, modelo Digi-Walker SW 700.&nbsp; Os voluntários utilizaram o pedômetro durante o turno de serviço, que compreende aproximadamente 12 horas. Os dados coletados foram normalizados pelo tempo de permanência com o pedômetro. Foi utilizado programa estatístico GraphPad Prism, versão 9, para determinar a média, desvio padrão e intervalo de confiança (95%) dos dados.</p>

Resultados

<p>Observamos que os policiais militares do programa de radiopatrulha realizam em média 295,1 (±117,5) passos por hora de serviço com intervalo de confiança (277-312 IC95%). Durante o turno de serviço foram realizados 2.553 (±1.120) passos com intervalo de confiança (2383-2722 IC95%), o que representou 1,74 (±0,81) km percorrido durante a utilização do pedômetro. Após a classificação do número de passos concluímos que a atividade exercida durante a atividade de radiopatrulha 190 é sedentária.</p>

Conclusão

<p>Esses achados são inéditos e rementem a necessidade de implantação de medidas de intervenções que busquem aumentar o nível de atividade física durante o serviço para a manutenção da saúde dos militares.</p>

Palavras Chave

atleta tático, polícia militar, número de passos, sedentarismo.

Área

Área Multiprofissional

Autores

GABRIELE ZAMPERO, JOSÉ ROBERTO DE MOURA, LEANDRO PORTO, FERNADA MONMA, Sandro Massao Hirabara, Tania Cristina Pithon-Curi, Rui Curi, Fernando Alves Santa-Rosa, Diego Ribeiro de Souza