XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE DE ESPÉCIES REATIVAS DE OXIGÊNIO EM POLICIAIS MILITARES SEDENTÁRIOS APÓS A PRÁTICA DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO FÍSICO REALIZADO DURANTE O SERVIÇO

Introdução

<p>Estudos clínicos demonstram que a detecção, o tratamento e o controle precoce são fundamentais para a redução dos eventos cardiovasculares. Neste aspecto, mudanças no estilo de vida, como redução no consumo de álcool e tabaco, hábitos alimentares adequados e manutenção do peso corporal ideal, são sugeridas como prevenção e tratamento não medicamentoso. A prática regular de exercícios físicos também é recomendada como meio de reduzir os riscos de morte por doenças cardiovasculares (DCV). O estresse oxidativo pode promover a oxidação excessiva de carboidratos, proteínas, DNA e lipídeos, sendo os produtos destas reações utilizados atualmente como biomarcadores para avaliar o estado redox em humanos. Além disto, existe uma relação entre a disfunção endotelial e o aumento dos níveis vasculares de espécies reativas de oxigênio (ERO), o que parece estar associado a diversas DCV.&nbsp;</p>

Objetivo

<p>O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos de um programa de treinamento físico aplicado em Policiais Militares durante o turno de serviço sobre as espécies reativas de oxigênio.&nbsp;</p>

Método

<p>Foram selecionados 58 indivíduos do sexo masculino, sedentários ou insuficientemente ativos, passaram por avaliações antropométricas de peso, altura, FC, pressão arterial, também foi coletado&nbsp;sangue para análise das espécies reativas de oxigênio. Após isso, foram submetidos a um programa de treinamento físico de 12 semanas, duas sessões por semana, com duração de 45 minutos, sendo realizados exercícios funcionais em circuito, de intensidade moderada a intensa, tudo isso verificado através da percepção subjetiva de esforço.&nbsp;</p>

Resultados

<p>Os resultados demonstraram que o treinamento foi capaz de gerar aumento da massa muscular [0,977kg (p&lt;0,05)], diminuição da gordura corporal [-1,54% (p&lt;0,05)]. Não houve alteração nos níveis plasmáticos de peróxido de hidrogênio (H2O2) e de nitrito, mas houve redução na atividade da enzima pró-oxidante NADPH Oxidase [0,02μM/min/mg (p&lt;0,05)], também observou-se uma redução na PAD [-2,5mmHg (p&lt;0,05)] e sem alterações significativas na PAS e FC.</p>

Conclusão

<p>Podemos concluir que um programa de treinamento físico durante o turno de serviço é capaz de promover alterações importantes na composição corporal e redução de parâmetros pressóricos, além de promover alterações em parâmetros de estresse oxidativo que podem estar associados a melhoras fisiológicas ligadas à saúde.</p>

Palavras Chave

espécies reativas de oxigênio; estresse oxidativo, exercício físico, treinamento físico, policial-militar.

Área

Área Multiprofissional

Instituições

Escola de Educação Física da Polícia Militar de São Paulo - São Paulo - Brasil, Faculdade Estácio de Carapicuíba - São Paulo - Brasil, Universidade Cruzeiro do Sul - São Paulo - Brasil, Universidade Federal de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

GILVAN ALMEIDA RUFINO MAMEDE, JOSÉ ROBERTO DE MOURA, RENATA GORJÃO, SANDRO MASSAO HIRABARA, TÂNIA CRISTINA PITHON-CURI, RUI CURI, DANIELLE SILVA DIAS, KÁTIA DE ANGELIS, DIEGO RIBEIRO SOUZA, FERNANDO ALVES SANTA-ROSA