XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

Análise comparativa de parâmetros cardiometabólicos entre mulheres com e sem distúrbios hipertensivos específicos da gestação prévios

Introdução

<p>Os distúrbios hipertensivos da gestação (DHG) predispõem mulheres a um maior risco a terem doenças cardiovasculares a longo prazo. O acompanhamento destas mulheres após o evento é necessário, com interesse em marcadores cardiometabólicos.</p>

Objetivo

<p>Descrever e comparar os parâmetros cardiometabólicos especialmente o AU e o TG em dois grupos: o grupo DHG prévio e grupo controle (GC).</p>

Método

<p>Trata-se de um estudo transversal retrospectivo realizado em um hospital terciário especializado com pacientes internadas do ano de 2013 a 2017. Os dados coletados para a caraterização da amostra [idade, etnia, peso, altura e IMC (Índice de Massa Corporal)] e para a avaliação dos parâmetros cardiometábolicos [Low density lipids (LDL-c), High density lipids (HDL-c) Triglicérides (TG), Ácido Úrico (AU) e Glicose Sérica (GS)]. As análises estatísticas envolveram o teste t-Student, o teste de Mann Whitney e o teste qui-quadrado.</p>

Resultados

<p>Com 38 participantes, a amostra foi subcategorizada por grupo DHG (n= 21) e GC (n=17) pacientes que tiveram o evento prévio e pacientes que não tiveram, respectivamente.&nbsp; Houve maior predomínio de estado nutricional de sobrepeso para ambos os grupos [DHG 47,6% (n=10) e GC 52,9% (n=9)] e de etnia negra no grupo DHG 43% (n=9) e pardas no grupo GC (n=8). Comparando as variáveis numéricas entre DHG e GC, não foi encontrada diferença estatística para idade (33,7±7 vs 34,5; p=0,78), peso [73,49 ± 14,691 vs 67,3(55,05 – 104,00); p=0,19] e IMC (8,34 ± 5,49 vs 26,43 ± 3,92; p=0,24). Os dados demonstram maiores valores de parâmetros bioquímicos para o grupo GC com exceção do AU; sendo HDL [56 ± 15 vs 57 (39 - 113); p=0,66], LDL [105(71 - 195) 118(31 - 153); p=0,24], TG [71 (40 - 1187) vs 80 ± 3; p=0,93], GS [86(76 - 133) vs 89(71 - 96); p=0,12], AU [4,0(2,1 - 7,0) vs 3,7 ± 0,7, p=0,35], mas também sem diferença entre grupos. Assim como não foi observada diferença entre DHG e GC para variáveis categóricas de IMC e TG alterados (71,43% vs 58,82%; p= 0,50 e 9,52% vs&nbsp; 0,00%; p=0,3, respectivamente). No GC, verificou-se coeficiente de correlação positivo e fraco entre IMC e TG (p=0,02; r= 0,54) e entre TG e GS (p=0,03; r=0,54).</p>

Conclusão

<p>Apesar da prevalência de sobrepeso em ambos os grupos, não houve diferença entre grupos para o IMC. Assim como não foi observada diferenciação entre DHG e GC para os parâmetros bioquímicos, incluindo AU e TG.&nbsp;Assim, consideramos de suma importância uma intervenção nutricional em ambos os grupos e almejamos que mais estudos sejam realizados.</p>

Palavras Chave

Área

Área Multiprofissional

Instituições

Instituto do Coração (InCor/HCFMUSP) - São Paulo - Brasil, Universidade de Mogi das Cruzes(UMC) - São Paulo - Brasil

Autores

Beatriz Alves dos Santos, Vitória Leite Sousa Rodrigues Leite, Renata Gomes Sanches Verardino, Ana Luíse Duenhas Berger, Luiz Aparecido Bortolotto