XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

INFLUÊNCIA DA ADESÃO A UM PROGRAMA DE TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O CONSUMO DE MACRONUTRIENTES DE POLICIAIS MILITARES SEDENTÁRIOS

Introdução

<p>A atividade policial militar tem características peculiares como a alta exposição ao estresse, elevadas horas e trabalho por turnos que podem dificultar a prática de exercício físico, reduzir o desempenho físico e aumentar o risco do desenvolvimento de doenças metabólicas e morte prematura. Estratégias de intervenção como a prática de treinamento físico e hábitos alimentares saudáveis, por outro lado, podem contribuir para a manutenção do peso corporal, melhora do perfil metabólico e reduzir o risco a doença cardíaca, cerebrovasculares, hipertensão, diabetes e obesidade. Entretanto ainda não está claro se a adesão aos programas de intervenção de atenção à saúde somente com o treinamento físico pode influenciar indiretamente no padrão do consumo alimentar.</p>

Objetivo

<p>O objetivo desse trabalho é avaliar a influência da adesão a um programa de treinamento físico institucional sobre o comportamento alimentar de policiais militares da atividade operacional.</p>

Método

<p>Participaram do estudo 32&nbsp;policiais militares, sedentários do programa de policiamento radiopatrulha. Para avaliar o consumo alimentar foi aplicado um recordatório de 24 horas durante cinco dias consecutivos, antes e imediatamente após 12 semanas da aplicação de um programa de exercício físico institucional&nbsp;realizado duas vezes por semana com sessões de treinamento de 45 minutos. O consumo alimentar informado no recordatório foi inserido no software Dietbox, para calcular e determinar a quantidade média de macronutrientes e micronutrientes ingeridos pelos policiais.</p>

Resultados

<p>A distribuição dos dados foi analisada pelo teste de Agostine &amp; Pearson, e a comparação dos dados pré e pós, intervenção foi realizada respectivamente por t test pareado, no programa GraphPad Prism, versão 9. Foi adotado um nível de significância de 95% (p&lt;0,05). Observou-se redução do consumo de carboidratos [26,6% (p&lt;0,05)], proteínas [13,9% (p&lt;0,05)], calorias [21,6% (p&lt;0,05)], e tendência na redução do consumo de lipídeos [19,9%, (p=0,062)].</p>

Conclusão

<p>Concluímos que o protocolo de intervenção com exercício físico implica indiretamente em mudanças no padrão alimentar dos Policiais Militares sedentários potencializando os benefícios de medidas relacionadas ao cuidado com a saúde dessa população.</p>

Palavras Chave

Palavras-chave: policial militar; nutrição; exercício físico; alimentação.

Área

Área Multiprofissional

Instituições

Escola de Educação Física da Polícia Militar do Estado de São Paulo - São Paulo - Brasil, Universidade Cruzeiro do Sul (Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências da Saúde) - São Paulo - Brasil

Autores

Vinícius Henrique Soares De Andrade, Fernando Cassio Dos Santos, Julio Cesar Martins Ferreira, Diego Ribeiro De Souza, Fernando Alves Santa-Rosa, José Roberto De Moura, Fabiola Lopes Soares Ferraresso, Tania Cristina Pithon-Curi, Maria Fernanda Boaventura-Cury, Sandro Massao Hirabara