XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

Associação da Sonolência Excessiva Diurna com a adesão medicamentosa ao tratamento anti-hipertensivo no Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto – ELSA-Brasil

Introdução

<p>A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é conhecida causa de mortalidade cardiovascular.A adesão ao tratamento anti-hipertensivo é essencial para o sucesso da terapia e redução dos riscos atribuídos à esta importante condição clínica.Dentre as potencias causas de má adesão os distúrbios de sono (apneia obstrutiva do sono [AOS],curta duração do sono [CDS],sonolência excessiva diurna [SED] e a insônia) podem em teoria ter algum papel devido à potencial relação com o sono de má qualidade e impacto no desempenho da memória e da cognitição.No entanto, a evidência na literatura do potencial impacto dos distúrbios de sono na adesão medicamentosa ainda é muito escassa.</p>

Objetivo

<p>Avaliar a associação entre a AOS,CDS,SED e a insônia na adesão ao tratamento anti-hipertensivo na população de participantes do estudo ELSA-Brasil</p>

Método

<p>Participantes adultos&nbsp;com HAS e sob tratamento anti-hipertensivo realizaram avaliação clínica,poligrafia domiciliar por uma noite e actigrafia de pulso por sete dias para determinar a AOS e&nbsp;CDS de forma objetiva, respectivamente. A AOS foi definida por um índice de apneia/hipopneia ≥15 eventos/hora e a CDS como média de duração de sono &lt;6 horas. A presença de insônia foi avaliada com o uso do questionário CIS-R;SED pelo questionário de Epworth e&nbsp;adesão medicamentosa&nbsp;por meio do questionário de 4 itens de Morisky. A irregular/má adesão medicamentosa foi definida como pontuação&gt;0 nesse&nbsp;questionário.</p>

<p>Regressão logística para analisar a associação independente entre as variáveis do sono e a irregular/má adesão;análise de mediação para fatores potenciais que mediam a associação com a baixa adesão</p>

Resultados

<p>Foram analisados 411 participantes hipertensos em tratamento anti-hipertensivo(idade média:54±8,47% homens).A irregular/má adesão foi observada em 62%.Comparado aos participantes com boa adesão,os participantes com irregular/má adesão apresentaram maior frequência de SED (35,9 vs.46,1%),menor frequência de nível educacional além do ensino médio (50,6 vs.40%) e menor renda per capita (R$2043,70 vs.R$1610,40).Não foi observada diferença significativa para a presença da AOS,&nbsp;CDS e insônia.&nbsp;A regressão logística mostrou que a raça diferente do branco (OR:1,80;IC:1,15-2,82),renda mensal mais baixa(OR:1,74;IC:1,01-3,0) e SED (OR:1,63;IC:1,05-2,53)foram independentemente associados à irregular/má adesão.A SED era mediada pela&nbsp;obesidade abdominal.</p>

Conclusão

<p>Em uma coorte de pacientes com HAS, a SED, mas não a AOS,&nbsp;CDS e a insônia&nbsp;foram associadas com má adesão à terapia anti-hipertensiva.&nbsp;</p>

Palavras Chave

Apneia do sono, duração do sono, adesão medicamentosa, hipertensão

Área

Área Clínica

Autores

Aline Nogueira Aielo, Ronaldo Batista Santos, Soraya Giatti, Barbara Parise, Silvana Souza, Lorenna F Cunha, Paulo A Lotufo, Isabela M Bensenor, Luciano Ferreira Drager