XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

EFEITOS AGUDOS DO CONSUMO DE CAFÉ SOBRE A FUNÇÃO ENDOTELIAL EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS SOB TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

Introdução

<p>O café possui inúmeros compostos bioativos incluindo cafeína e ácidos clorogênicos (ACGs). Apesar dos efeitos da cafeína sobre a função endotelial serem controversos, os ACGs são polifenóis com efeito antioxidante, capazes de aumentar a biodisponibilidade de óxido nítrico e melhorar a função endotelial. Estudos avaliando os efeitos agudos do café sobre a função endotelial apresentam resultados inconsistentes, tendo sido realizados exclusivamente com indivíduos saudáveis.</p>

Objetivo

<p>Avaliar os efeitos agudos da ingestão de café arábica com e sem cafeína sobre a função endotelial e a reatividade microvascular cutânea em hipertensos em tratamento medicamentoso.</p>

Método

<p>Ensaio clínico randomizado, controlado e cruzado com pacientes hipertensos entre 40-65 anos consumidores habituais de café.&nbsp; Os pacientes realizaram 3 visitas de intervenção, com intervalo de 1 semana, nas quais ingeriram de forma aleatória uma dentre 3 bebidas: café expresso com cafeína (CC) (61,42mg ACGs; 135mg cafeína), café expresso descafeinado (CD) (68,07mg ACGs; 5mg cafeína) e água. Antes e 90 minutos após a ingestão das bebidas a função endotelial foi avaliada por tonometria arterial periférica com a determinação do índice de hiperemia reativa (RHI) e a reatividade microvascular cutânea avaliada por meio da técnica de Laser Speckle Contrast Imaging através da hiperemia reativa pós-oclusiva. O teste ANOVA para medidas repetidas foi utilizado para avaliar as modificações intra e inter-bebidas.</p>

Resultados

<p>Foram incluídos 16 pacientes e 14 finalizaram todas as visitas, 58±6 anos, 50% homens. O RHI apresentou redução significativa após a ingestão do CC (-0,57±0,60;p=0,004) e do CD (-0,54±0,75;p=0,03), porém não se modificou de forma significativa após a água (-0,09±0,76;p=0,34). Entretanto, ao se comparar a modificação do RHI após as 3 bebidas não foi observada diferença significativa. Em relação a reatividade microvascular cutânea não foram observadas modificações significativas no pico de hiperemia, na amplitude da resposta a hiperemia e nem na área sob a curva pós-oclusão após a ingestão das 3 bebidas.&nbsp; Na análise comparativa das modificações nestas variáveis após as 3 bebidas não foram observadas diferenças significativas.</p>

Conclusão

<p>O café com cafeína e o café descafeinado em comparação com a água não promoveram modificações significativas na função endotelial e na reatividade microvascular cutânea em hipertensos sob tratamento medicamentoso com ingestão habitual de café.</p>

Palavras Chave

Café. Hipertensão. Função Endotelial

Área

Área Multiprofissional

Autores

Fernanda Barboza de Araujo Lima Casto, Michelle Rabello Cunha, Flavia Garcia Castro, Otniel Freitas-Silva, Sidney Pacheco, Maria de Lourdes Guimarães Rodrigues, Debora Cristina Torres Valença, Mario Fritsch Neves, Márcia Regina Simas Torres Klein