XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

O BLOQUEIO DO AUMENTO DE CITOCINAS INFLAMATÓRIAS NO CORAÇÃO PODE MELHORAR O REMODELAMENTO CARDÍACO EM ANIMAIS COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.

Introdução

<p>A inflamação cardíaca tem sido considerada um importante mecanismo envolvido na insuficiência cardíaca (IC). Anti-inflamatórios, como a dexametasona (DEX), podem ser usados ​​para controlar a inflamação cardíaca, enquanto os inibidores da enzima conversora de angiotensina demonstraram melhorar a sobrevida, regredir o remodelamento e a disfunção cardíaca na IC.&nbsp;</p>

Objetivo

<p>Assim, este trabalho avaliou os efeitos do tratamento com DEX e ramipril no remodelamento cardíaco e inflamação cardíaca.&nbsp;</p>

Método

<p>Cinquenta e cinco ratos wistar foram submetidos a um protocolo de estenose aórtica (EA). Após 21 semanas, foi realizado ecocardiograma e após 24 semanas da cirurgia, os animais foram tratados com DEX (50μg/kg) ou ramipril (10mg/kg). Após o tratamento, todos os ratos foram submetidos a um ecocardiograma e, ao final do protocolo experimental, os grupos foram eutanasiados e o ventrículo esquerdo (VE) foi removido para análise de citocinas inflamatórias. Os resultados são apresentados como média ± erro padrão da média. A análise de variância foi utilizada para comparar os grupos, com post-hoc de Tukey (p&lt;0,05).</p>

Resultados

<p>Os corações dos grupos EA estavam mais hipertrofiados do que os grupos sham, entretanto, o tratamento com DEX reduziu 19% as espessuras da parede posterior e septo interventricular, 17% a espessura relativa do VE e 28% a massa do VE, enquanto que o tratamento com ramipril não promoveu qualquer alteração significativa. Em relação à função cardíaca, os animais EA apresentaram diminuição da função cardíaca e nenhum dos tratamentos foi capaz de atenuar. &nbsp;Por outro lado, ambos os tratamentos bloquearam o aumento das principais citocinas pró-inflamatórias envolvidas na IC, tais como interleucina 1β (-70% e -76% para DEX e ramipril), interleucina 6 (-50% e -42% para DEX e ramipril), fator de crescimento transformador β (-33% e -24% para DEX e ramipril), fator de necrose tumoral α (-61% e 60% para DEX e ramipril) e fator de crescimento vascular endotelial (-54% e -47% para DEX e ramipril) quando comparados com ratos estenose controle.</p>

Conclusão

<p>Em conclusão, o presente estudo sugere que a DEX possa ser benéfica em mitigar a evolução da doença cardíaca devido à atenuação do remodelamento cardíaco induzido pela menor inflamação cardíaca.&nbsp;Além disso, embora o tratamento com ramipril tenha atenuado a inflamação cardíaca, não melhorou o remodelamento ou função cardíaca, sugerindo que períodos mais longos de tratamento com ramipril poderiam ser usados para obtenção de resultados mais efetivos.</p>

Palavras Chave

Remodelamento cardíaco, dexametasona, ramipril, ecocardiograma, citocinas inflamatórias.

Área

Área Básica

Instituições

Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - Brasil, Universidade Estadual Paulista - UNESP - São Paulo - Brasil, Universidade Estadual Paulista - UNESP - São Paulo - Brasil

Autores

Francine Duchatsch, Danyelle Siqueira Miotto, Lidieli Pazin Tardelli, Thiago José Dionísio, Dijon Henrique Salomé Campos, Carlos Ferreira Santos, Katashi Okoshi, Sandra Lia Amaral