XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

EXERCÍCIO FÍSICO MELHORA A VIA PARACELULAR DA BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA NO PVN DE RATOS COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.

Introdução

<p>Evidências indicam que, a insuficiência cardíaca (IC) é acompanhada de disfunção da barreira hematoencefálica (BHE) no núcleo paraventricular do hipotálamo (PVN) e que o treinamento aeróbio (T) corrige a funcionalidade por normalizar a elevada transcitose. Entretanto, até o presente momento, não há em portadores de IC informações sobre a funcionalidade da via paracelular responsável pelo transporte de substâncias hidrossolúveis.</p>

Objetivo

<p>Investigar em capilares do PVN os efeitos da IC e do T sobre a permeabilidade da BHE e a densidade das junções oclusivas (JOs) que limitam o transporte paracelular.</p>

Método

<p>Ratos Wistar (8 semanas, ~250 g) foram submetidos à oclusão da coronária descendente anterior ou cirurgia fictícia (SHAM) e ecocardiografia. Após a instalação da IC (fração ejeção≤42%) foram submetidos ao T (esteira) ou sedentarismo (S) por 8 semanas. Ratos S e T foram cateterizados para o registro de parâmetros hemodinâmicos /autonômicos e análise de permeabilidade da BHE. O PVN foi coletado para avaliação das JOs (microscopia eletrônica de transmissão, MET e imunofluorescência para Claudina-5).</p>

Resultados

<p>IC-S vs. SHAM-S exibiram redução da pressão arterial (PA, -10%), aumento da atividade simpática periférica (+45%), diminuição da sensibilidade barorreflexa (BrS, -19%), aumento na variabilidade PA sistólica (+53%) e elevada permeabilidade da BHE no PVN (11,3±1,4 vs. 2,8±0,2 % de área), com marcante redução da densidade das JOs/capilar (-37% pela MET). Estas alterações foram corrigidas pelo exercício nos IC-T e SHAM-T. Para confirmar as alterações induzidas nas JOs pela IC e T, analisamos a expressão proteica de claudina-5 (importante constituinte das junções oclusivas, responsável por sua seletividade). Observamos diminuição dos níveis de claudina-5 nos IC-S (0,071±0,003 vs. 0,170±0,006 % área nos SHAM-S). Por sua vez, o treinamento aumentou marcadamente a expressão de claudina-5 nos IC-T (+3,6 vezes) com aumento de menor magnitude nos SHAM-T (+45%) quando comparados aos respectivos controles S.</p>

Conclusão

<p>Além da aumentada transcitose, a IC cursa com importante redução da densidade das JOs e prejuízo do transporte paracelular. O treinamento aeróbio ao aumentar a densidade das JOs e a expressão da claudina-5, melhora substancialmente a seletividade da BHE em portadores de IC, normalizando o transporte de substâncias hidrossolúveis e contribuindo para restaurar a funcionalidade da BHE e corrigir a disfunção autonômica que caracteriza a IC.</p>

Palavras Chave

Insuficiência cardíaca, treinamento aeróbio, barreira hematoencefálica, transporte paracelular.

Área

Área Básica

Instituições

Universidade de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

Hiviny Ataides Raquel, Gustavo Santos Masson, Sany Martins Pérego, Alison Colquhoun, Leonardo Jensen, Lisete Compagno Michelini