XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇÃO ENTRE A DISTRIBUIÇÃO DE MACRONUTRIENTES E VARIÁVEIS ANTROPOMÉTRICAS EM MULHERES NA PÓS MENOPAUSA COM E SEM HIPERTENSÃO

Introdução

<p>As mudanças hormonais da menopausa apresentam um efeito deletério sobre várias funções fisiológicas, incluindo o metabolismo e a regulação da pressão arterial. Nessa fase, 50% das mulheres apresentam síndrome metabólica. O aumento de risco para algumas doenças crônicas não transmissíveis, destacando-se a hipertensão, sugerem que os hábitos alimentares estão associados a esses eventos. Os dados antropométricos são indicadores estabelecidos para risco de doenças do coração e, associados a mulher pós menopausa e hipertensão, representa uma lacuna a ser elucidada.</p>

Objetivo

<p>Este estudo teve como objetivo comparar as relações entre variáveis antropométricas e distribuição dos macronutrientes da dieta de mulheres pós menopausa com e sem hipertensão.</p>

Método

<p>Este estudo recrutou 45 mulheres entre 45 e 65 anos, com e sem hipertensão e mínimo de um ano de amenorreia. As participantes responderam um recordatório alimentar e tiveram seu peso, altura, circunferência de cintura, abdômen e quadril coletados. A partir das coletas foram calculados distribuição de<br />
macronutrientes na dieta e razões cintura/quadril e cintura/estatura. Os dados foram analisar por test t e estão apresentados como média ± desvio padrão. Foram consideradas significativas as diferenças entre os grupos para p &lt; 0,05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Unisinos e pelo Comitê de Ética<br />
do Instituto de Cardiologia/RS – Fundação Universitária de Cardiologia. Todos as pacientes assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido.</p>

Resultados

<p>Houve diferença significativa entre normotensas e hipertensas para IMC (24,87±4,05 kg/m² vs. 32,03±4,20 kg/m²; p&lt;0,001), circunferência de cintura &nbsp;(80,91±9,96 cm vs. 102,08±9,27 cm; p&lt;0,001), quadril (101,43±8,15 cm vs. 111,23±8,93 cm; p&lt;0,001), razão cintura/estatura (0,43±0,06 cm vs. 0,64±0,06 cm; p&lt;0,001), cintura/quadril (0,79±0,05 cm vs. 0,91±0,04 cm; p&lt;0,001) e peso (64,81±11,19 kg vs. 78,33±11,37 kg; p&lt;0,001 ). Quanto ao consumo alimentar, houve disparidade significativa na ingesta de carboidratos (172,66±88,67g vs. 250,32 ± 92,95g; p=0,007) e lipídeos (55,69±26,23g vs. 82,07±51,12g; p=0,037), não havendo, entretanto, diferença significativa no consumo de proteínas (62,80±23,32g vs. 77,60±39,67 g; p=0,139).&nbsp;</p>

Conclusão

<p>O estudo sugere que há diferenças significativas nas variáveis antropométricas e de consumo alimentar entre normotensas e hipertensas, podendo, portanto, estar relacionadas com o desenvolvimento da hipertensão.</p>

Palavras Chave

Menopausa; Hipertensão; Macronutrientes; Antropometria

Área

Área Multiprofissional

Autores

Mariana Ávila, Daniele Santetti, Aline Dalmazo, Maria Claudia Irigoyen, Claudia Fetter