XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

Alta Prevalência de Insônia e Potencial Impacto na Pressão Arterial em Pacientes de um Ambulatório Especializado de Hipertensão Arterial

Introdução

<p>A insônia é um distúrbio de sono caracterizado pela dificuldade de iniciar e/ou manter o sono e/ou apresentar despertar antes do desejado, apesar de adequada oportunidade para dormir. A prevalência de insônia vem crescendo no mundo, sendo reportadas taxas de 7 a 19% em adultos. A insônia pode apresentar um potencial impacto cardiovascular: por exemplo, estudos prévios sugerem uma associação entre a insônia e a hipertensão arterial sistêmica (HAS).</p>

Objetivo

<p>Caracterizar a frequência e o perfil da insônia em pacientes adultos acompanhados em ambulatório de HAS de um centro terciário.&nbsp;</p>

<p>&nbsp;</p>

Método

<p>&nbsp;Foram avaliados pacientes consecutivos atendidos no ambulatório de HAS do Instituto do Coração (InCor), Universidade de São Paulo. Os pacientes foram entrevistados e questionados a respeito da presença de insônia (questionário insomnia severity index) e realizaram uma avaliação clínica que incluiu dados da história clínica como número de anti-hipertensivos em uso, comorbidades, coleta de dados antropométricos e a medida padronizada da pressão arterial, PA (obtida pela média de 03 medidas usando aparelho digital validado). Para avaliação estatística dos dados coletados foi utilizado o programa estatístico SPSS.</p>

<p>&nbsp;</p>

Resultados

<p>300 pacientes consecutivos foram avaliados (64% sexo feminino, mediana de idade de 63 anos, 54,6% com obesidade, número de classes de anti-hipertensivos: 4,4±1,6). 51% da amostra apresentava algum tipo de insônia.</p>

<p>Os grupos com e sem insônia eram homogêneos em relação à idade e presença de obesidade; em relação ao sexo o grupo com insônia apresentava significativamente mais mulheres (75,16% vs 52,38%&nbsp; p&lt;0,001 ) .&nbsp;</p>

<p>Comparado aos pacientes sem insônia, pacientes com insônia apresentaram uma maior porcentagem de uso de ≥4 anti-hipertensivos (64,6%vs.75,8%; p=0,034) .Apesar do maior uso de anti- hipertensivos, o grupo com insônia tinha uma tendência de menor taxa de controle da PA de consultório considerando o critério &lt;140x90mmHg em consultório (69,28% vs. 59,86%); p=0,088).&nbsp;</p>

<p>&nbsp;</p>

Conclusão

<p>A insônia apresenta alta prevalência em pacientes com HAS atendidos em um centro especializado e foi associada com maior necessidade de anti-hipertensivos e uma tendência de menor taxa de controle da PA.&nbsp;</p>

<p>&nbsp;</p>

Palavras Chave

insônia, hipertensão arterial sistêmica

Área

Área Clínica

Instituições

Instituto do Coração - INCOR /HCFMUSP - São Paulo - Brasil

Autores

Ana Vitoria Vitoreti Martins, José Gilvam Araújo Lima Junior, Luiz A. Bortolotto, Geraldo Lorenzi-Filho, Luciano F. Drager