XXX Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial

Dados do Trabalho


Título

ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO SOBRE MANEJO DA HIPERTENSÃO NO PUERPÉRIO INICIAL: MANUTENÇÃO DA METILDOPA VERSUS SUBSTITUIÇÃO DE INIBIDORES DE ENZIMA CONVERSORA DE ANGIOTENSINA

Introdução

<p>Os distúrbios hipertensivos específicos gestacionais (DEGH) afetam cerca de 10% de todas as gestantes e puérperas em todo o mundo e são uma importante causa de mortalidade materna, com uma proporção significativa de eventos ocorrendo no puerpério. A primeira linha de medicação utilizada no período gestacional, principalmente em regiões de baixa renda, é metildopa. Embora seja considerado seguro durante o período de lactação, é comum ser substituído imediatamente após o parto o que pode, consequentemente, gerar um pressão arterial (PA) não controlada no puerpério imediato. O presente estudo objetiva comparar a manutenção do uso da metildopa no puerpério inicial com a substituição imediata após o parto por outro classe de anti-hipertensivo farmacológica no controle da PA de mulheres com DEHG prévio.</p>

Objetivo

<p>O presente estudo tem como objetivo comparar a manutenção do uso de metildopa no puerpério precoce com a substituição imediata após o parto por outra classe farmacológica anti-hipertensiva no controle da PA de mulheres com DEGH prévio.</p>

Método

<p>O estudo (ClinicalTrials.gov NCT04835233) é um estudo prospectivo duplo-cego randomizado controlado que foi desenvolvido em um Hospital Universitário de referência em gestações de alto risco. O tamanho da amostra calculada é de 180 mulheres apresentar DHEG em uso prévio de metildopa por pelo menos uma semana antes do parto. Os critérios de exclusão incluem o uso prévio de outro anti-hipertensivo durante a gestação, ou contra-indicações ao uso de conversor de angiotensinainibidores enzimáticos (IECA). Após a assinatura do consentimento informado, os pacientes serãorandomizado após o parto para uso de manutenção de metildopa anterior ajustadode acordo com os valores de PA ou substituição pelo uso de IECA captopril. A PA será monitorada desde o parto até a alta hospitalar, e efeitos adversos e picos hipertensivos são notificado.</p>

Resultados

<p>O período de inclusão foi iniciado recentemente.</p>

Conclusão

<p>Este ensaio clínico randomizado resolverá uma questão não respondida sobre o tratamento da hipertensão arterial após o parto, e os resultados podem ter implicações clínicas no fornecimento do medicamento mais seguro e eficaz a ser usado em pós-parto imediato para mulheres hipertensas.</p>

Palavras Chave

Período pós-parto; Hipertensão; Hipertensão Induzida pela Gravidez; Metildopa; Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina

Área

Área Clínica

Autores

Rossana Mariana Carvalho Paiva Marques, Sabina Bastos Maia, André Telis Vilela Araújo, Lara Monteiro Costa Araújo, Thereza Virginea Quintans Dias, Gabriela Tejo Bezerra Ribeiro Nogueira, Ayla Nobrega André, Fabio Antônio Serra Lima Júnior, Luiza Alcântara Pontes Lemos, Luiz Aparecido Bortolotto